27 de abril de 2021

GUERRA CULTURAL E BOLSONARISMO: Como a retórica do ódio criou uma realidade paralela

o escritor e historiador João Cézar de Castro Rocha explica o que é a guerra cultural, um dos principais instrumentos da extrema-direita. De suas origens com o ultra-conservador norte-americano Pat Buchanan no início dos anos 1990, o termo passou a designar uma visão maniqueísta de mundo, que divide a sociedade em “nós” e “eles”, impedindo qualquer diálogo político. Essa atitude é reforçada por um uso massivo das mídias digitais, por parte dos seguidores de Jair Bolsonaro, para criar notícias falsas e narrativas alternativas – um espaço que o professor chama de “midiosfera”. Tudo isso, aliado à utilização do discurso do ódio, é capaz de manter uma militância extremista constantemente mobilizada para o conflito.

Notícias Recentes

1 de novembro de 2022

CONVENIO MARCO ENTRE LA UNIVERSIDAD NACIONAL DE JOSÉ CLEMENTE PAZ Y EL INSTITUTO DE INVESTIGACIONES Y ESTUDIOS SUPERIORES DE LA JUDICATURA Y MINISTERIO PÚBLICO

1 de novembro de 2022

Edital de Convocação Assembleia Geral Extraordinária IPEATRA

24 de outubro de 2022

Desembargador do TRT4 Manuel Cid Jardon determina que Stara se abstenha de práticas de coação eleitoral junto a empregados

5 de outubro de 2022

Matías Bailone lança livro Direito Penal Antiterrorista e o Estado Constitucional de Direito